domingo, 10 de maio de 2009

Isto ou aquilo



Ficava sempre indecisa isto ou aquilo, vermelho ou azul, rosas ou margaridas, porque não uma terceira opção: vermoazul, amarever, marogari...tudo tão simples a ela.
Senhor os meus tecidos já chegaram? Sim esse mesmo, ah. que pretorelo lindo, combina perfeitamente com minhas sandabotas. Florista, por gentileza, uma dúzia de...
Não se tratava apenas da junção dos nomes das coisas, mas das infinitas possibilidades e usos dos objetos do prazer ou do desprazer. Quantas possibilidades existiriam, ou não.

5 comentários:

  1. Possibilidades? Ou melhor 50%? Uma questão de escolha?

    ResponderExcluir
  2. e meu coração embaralhado permanece em cima do muro frente à tanta indecisão. como escolher um amor entre ela e ele? entre ele e ele, entre ela e ela? o nome das cores do tecido ficam ótimas quando as junto, mas cores não são amores. na dúvida entre um e outro, posso ficar com os dois? os três? os quatro? os....?

    ResponderExcluir
  3. essas possibilidades passavam também pela sua mente, tudo tão a mão, mas qual fumaça diluíam-se rapidamente, estava em uma outra busca, feito um barco à deriva que quer o porto, queria o contentamento em si.

    ResponderExcluir
  4. Isto ou aquilo, era tudo mera escolha, ter ou nao ter eis a questao. Por nao poder olhar o dia preferia olhar a noite por nao poder estar a noite fugia para o dia.

    E nestas tardes e amanhecerem onde o lusco fusco abrigava a sombra das escolhas pairava com seu pensamento entre o sol e a lua temendo e alegrando-se, chorando e sorrindo. Era apenas uma mera questao de escolha.

    ResponderExcluir