domingo, 2 de maio de 2010

Curto um curto-circuito


9.321
De tanto pensar, queimou os transistores do cérebro, mas allás, não existem mais transistores e o miolo tem que ser trocado por um dignissimo circuito impresso feito com cabelinhos de ouro. Nada mais empolgante que acompanhar esta evolução e mais ainda fazer parte dela. Só não entendo porque cargas d'agua dizem que este NOVO que presenciamos nada mais é do que o velho reinventado. Mas como será isso? Provalmente os maias, incas já haviam participado deste circuito, ou ainda um curto circuito e sumiram. Mas nos deixaram muitos ensinamentos, como toda grande civilização que muitos acreditam enquanto outros não.
.
9.322
Dona Quitéria, minha vizinha, diz que o homem, bicho danado, inventa muito. Deixou de ser humano,que quer ser Deus, que isso não é bão não e que ela até já ouviu falar também que nada é inventado, tudo já existe e é apenas descoberto. Como se descobrir estas coisas fosse fácil. Se fosse assim ela teria descoberto como cozinhar seus bolinhos de bacalhau sem deixar cheiro. Cruzes, so de lembrar franzo o senho. Mas é fato que os longinquos dominios de Zeus observam o pulular de nós serzinhos atarefados na labuta de inventos domésticos, domesticáveis e domesticadores. E não dão sequer um empurrãozinho para que façamos a coisa certa. Cria-se mais durantes as guerras do que em tempos de paz.
.
9.323
O iPad ja existe e logo vai transformar-se numa placa de plastico transparente que carregamos na carteira. Mas ainda não inventaram o carro voador nem a capsula de energia, nem cachaça em drágeas ou aparelhos que permitam as girafas cantarem. Porem rumamos, como deveriamos rumar, a um viver e apertar. Apertar botões e botõezinhos, e, nessa velocidade estonteante, entre telas e fones, encontros e desencontros ficarmos mais livres para outras paragens. Criarmos o tempo desejável o tempo de... ... o tempo de... o tempo de um curto circuíto. Não vejo a hora de deixar de lado o carro, o metrô, o avião, pegar o meu teletransporte e ir de Bangladesh a Caracas em segundos. Trabalhar confortavelmente por algumas horas e depois vir tomar o chá da tarde em Curitiba, ou quem sabe até Paris. Um delicioso café, depois passear pelo Sena, visitar museus, correr pelos jardins sem avião, sem metrô. Teletransporte que nada. É melhor eu ajustar esses óculos, a viagem já começou.
.
9.324
Sim o fim esta mesmo próximo, é o que dizem, parece que tem data precisa em 21 de dezembro de 2012, mas ja houveram tantas outras datas precisas para eventos tão heterogeneos quanto possivel sem que nada digno de nota acontecesse. Não que não va acontecer, so não se pode prever quando com absoluta precisão de um relógio paraguaio mas como dizem por aí, que vai rolar, vai. Acho.
.
9.325
Curiosamente podemos ter nossos curto-circuitos e até curti-los. Eu curto meus circuitos e curto-circuitos na medida que eles possam fazer desprender do éter a volúpia necessária para embalar meus sonhos mais secretos.
.
9.326
Mesmo contra a vontade da dona Quitéria de seus netos, sobrinhos amantes, fornecedores, advogados, alunos, malafetos, micróbios, e pensamentos o futuro é uma incógnita mesmo que predigam ao contrário consultores do Oráculo de Delfos, gente que lê as letrinhas na sopa ou grandes Xamãs espirituais da ordem de Hermes de Trimegistos. Acho até que é a unica coisa que Deus não sabe, o futuro.
.
9.327
Segundo Einstein não existe o passar do tempo, ele é uma dimensão, não Einstein, o tempo, a quarta dimensão que possibilita a existencia da matéria no plano existente. Mas Einstein é menos fodão que Deus, se é que ele existe, não Einstein, Deus.
.
9.328
Cartesianamente isso parece ser um paradoxo que segundo dona Quitéria, como é que Deus, que não pode prever o que vai pensar em seguida (se é que ele pensa e não tenha algum tipo de processo inimaginável que o leva a ter dúvidas sobre si mesmo) pode saber menos que um alemãozinho bigodudo que descrevia o universo com números e fórmulas para tentar entender a Deus?
.
Neste momento o curto cicuito número 9.329 impõe uma quebra no padrão analitico e reinicia o sistema, isso promove o chamado: Pensar-através-dos-circuitos-não-abstratos.
.
Mas acho que pensei além do que me era permitido.
.
Cajadomatic, Renato Ferreira, Sueli Aduan, Léo Metallica, Emilia.
Ilustração
: Maria Emilia Zanin, (feito com de Post-its)
.

5 comentários:

  1. Pôxa!Como ficou bom!Eu gostei muitoooooooo.
    Parabéns a todos!

    vamuqvamu
    tudumisturadu
    bjus

    ResponderExcluir
  2. ficou legal, Congratulaciones a nosotros :o)

    ResponderExcluir
  3. Trilha sonora sugerida ^^
    http://www.youtube.com/watch?v=prZ4RWWku7Y

    ResponderExcluir
  4. CARACAAAAAAAAAAAAAAA... QUE SHOW. Putz... e olha que quando eu escreví neste texto eu estava bastante desesperançoso de que algo de bom saíria. Estava tão cacofônico que eu escreví aquele finalzinho. Que por bem, vocês o realocaram e colocaram no final do texto.

    Fica a lição. Acho que eu nunca vou terminar um texto prematuramente.

    Vou te contar... Esse ficou de uma complexidade muito legal. Os pensamentos humanos retratados de forma pura e sem enfadonhismo.

    E genial os números. É como se cada pensamento fosse catalogado por algo vivo, sei lá.

    Muito maneiro mesmo.

    Direto do Rio.
    Abração a todos.

    ResponderExcluir